Investir em pessoal é caminho para crescimento das empresas

Quando pensamos na estrutura de uma empresa e o que a faz ter uma base sólida e melhore os resultados a cada mês, prontamente vêm à mente setores Financeiro, Comercial, Operações, entre outros. Porém, existe também o setor de RH e Gestão de Pessoas que, embora pouco lembrado, desempenha papéis determinantes nas organizações.

Segundo o Diretor da KLA João Pessoa, Alberto Marinho, este setor pode não ser a parte vital, mas dá suporte para que ela funcione bem. “O executivo americano Jack Welch já falava que ‘vendas é o coração da empresa e não pode parar nunca’. Com base nessa citação, o Setor de RH ou Departamento Pessoal são os ‘braços e pernas da empresa’. Sem esse departamento, com certeza a empresa não terá os resultados e o crescimento desejado pelos seus sócios, acionistas e fundadores”, afirma.

Muito além de apenas entrevistar, selecionar, contratar e demitir colaboradores, o papel desempenhado por esses setores engloba diversas práticas relacionadas à administração. E, para entender essas funções, é necessário compreender a diferença entre o Gestão de RH e Gestão de Pessoas. “A Gestão de RH é a parte técnica de todo o processo de contratação, seleção, capacitação dos colaboradores e estabelecimento de toda a comunicação da empresa. A Gestão de Pessoas é o que envolve a capacitação, participação, envolvimento e humanização do processo empresarial, e ela é feita pela Gestão de RH juntamente com os gestores e diretores”, esclarece Alberto.

Esse processo visa administrar todas as pessoas que estão inseridas no processo de crescimento da empresa, pois, mais que pensar em lucro propriamente dito, hoje, a administração tem voltado mais o seu olhar para os colaboradores. “Uma Gestão Estratégica de Pessoas bem executada impacta diretamente nos resultados das empresas, além de exercer um papel social importante. Por exemplo, a contratação de pessoas aposentadas que estão ativas, dispostas e querendo ser produtivas é uma realidade. Se pensarmos que a população está vivendo mais, isto é algo estratégico, que tem impactos de curto, médio e longo prazo”, explica a especialista em gestão de pessoas Raquel Arena.

Além de não crescer, uma organização sem um setor de RH bem estruturado também pode enfrentar problemas que diminuam seus resultados. “A falta de uma boa gestão de RH ou de Pessoas, traz consigo grandes limitações no processo empresarial, como por exemplo: dificuldades para gerir conflitos internos, falta de visão para novos mercados, baixo rendimento da equipe comercial, falha na comunicação interna e externa entre outras situações. Uma empresa sem gestão de pessoas é um edifício sem um bom alicerce, na primeira ventania ele pode cair”, finaliza Alberto Marinho.